INFORME DO SINPRO

ENCAMINHAMENTO DE NEGOCIAÇÃO PARA O ENSINO SUPERIOR
- A semana que passou marcou a conclusão do processo negocial para uma nova Convenção Coletiva de Trabalho dos professores do ensino superior, vinculados a instituições representadas pelo Sinepe/RS.
Em mais uma rodada de debates, os sindicatos ligados à FeteeSul encaminharam a questão do reajuste salarial, único entrave para o fechamento das negociações. A proposta aprovada em mesa prevê um reajuste de 5% já em outubro, e complemento de mais 3% aos salários dos docentes em fevereiro do próximo ano. A integralização do INPC do último período, de 10,4%, ficará para 2024. Diante da extrema resistência do Sinepe, a proposta de reajuste aprovada é considerada aceitável em virtude do quadro de dificuldades econômicas apresentado pelas entidades de ensino privado.
Na última semana, os sindicatos da FeteeSul também voltaram a conversar com representantes do Sindiman. O encontro foi rápido. Em virtude da falta de avanços significativos, – os representantes patronais apresentaram a mesma proposta de 8% de reajuste, de forma parcelada – os Sinpros solicitaram o envio de minuta das propostas para avaliar junto às bases se é pertinente a continuidade das negociações ou o aceite das condições apresentadas.

ASSEMBLEIA DO SINPRO
- Com a proximidade da conclusão das negociações coletivas para novas convenções dos professores do ensino superior, o Sinpro realizará em breve uma importante assembleia extraordinária para debater o encaminhamento do tema.
Com o processo negocial encaminhado junto ao Sinepe/RS, e com a falta de avanços nas negociações com o Sindiman, a participação dos professores de ensino superior será importante. Nos próximos dias, através dos nossos canais digitais, divulgaremos data, horário e local da assembleia.

CONTEE VÊ COM PREOCUPAÇÃO CENÁRIO DE NEGOCIAÇÕES NO ENSINO PRIVADO
- Garantias importantes asseguradas na educação básica, mas perdas elevadas, ameaças às convenções coletivas, desmonte de direitos consolidados e recusa sistemática dos patrões em negociar no ensino superior. Este foi o resumo apresentado pela maioria dos representantes das federações e sindicatos filiados à Contee que participaram, na última semana da reunião nacional convocada para acompanhamento das campanhas e negociações salariais na base da Confederação.
A situação levou a Contee e o conselho de entidades a indicar possibilidade de paralisação nacional, em agosto deste ano, no ensino superior. Também ficou decidido que a Confederação fará nota pública, para ser divulgada em veículos de imprensa de repercussão nacional, sobre a questão.
Além disso, foi lembrado que, em março deste ano, a Contee apresentou denúncia à OIT (Organização Internacional do Trabalho) sobre as práticas antissindicais no ensino superior privado brasileiro.
Mais informações neste link: https://bit.ly/3Hfoob2